SINDICALISMO DE CONTEÚDO

Você provavelmente já foi impactado e não se ligou.

Um dos termos novos em Comunicação é o Sindicalismo de Conteúdo. O seu ineditismo faz com que no Google em todas as referências relacionadas migrem para os partidos políticos.

A sua aplicação na mídia segue o preceito do engajamento e disseminação de diferentes plataformas sem a necessidade do pagamento por este conteúdo. É muito mais que um mero compartilhamento, envolve a produção e disponibilização contínua aos publishers de matérias acessadas via uma plataforma, que poderão ser utilizadas de acordo com a sua análise.

Em troca os produtores do conteúdo comercializam o espaço comercial desta mídia. Este formato pode ocorrer de forma programática com a entrega via DSP´s. A empresa que opera este modelo no Brasil é a Perform Group, com a Plataforma eplayer.

A empresa compra os direitos esportivos de transmissão dos principais eventos mundiais e disponibiliza diariamente um catálogo que pode ser baixado conforme a necessidade do Publisher. No Brasil hoje são mais de 40 veículos que reverberam diariamente os mais diferentes esportes. Desde a exclusiva de Cristiano Ronaldo após o final da Champions League até os Highlights da NBA.

Segundo o Meio e Mensagem (http://www.meioemensagem.com.br, 06/11/2017), com o efeito Neymar, possibilitou que o número de visualizações do ePlayer com lances, entrevistas e bastidores da Ligue 1, o campeonato francês, um crescimento de 2.220% no conteúdo, saindo de 65 mil para 1,5 milhão de visualizações, no período de 01 ano entre setembro 2016 e 17.

Este fator é decorrente obviamente da chegada do jogador, valorização da Liga e sobretudo dos Canais de Distribuição.

Os Canais de Distribuição, merecem uma atenção especial, seja com o crescimento exponencial de publishers com a ferramenta, ou pela propagação do conteúdo em vídeo e a ampliação de smartphones. No Brasil, segundo Comscore (2015), 86% dos usuários de internet assistem a conteúdo em vídeo, sendo que 36% pelo menos 1 x ao dia, sendo que 55% do tempo utilizam celulares, incentivados pelo aumento da sua penetração que supera 60% da população (Video View Survey 2016).

Tem mais interesses sobre este formato?

Entre em contato com a gente